NOVIDADES DE BATTLEFRONT DIVIDEM BF BRASIL


Após anos de escuridão total, os fãs da série Battlefront ganharam um sopro de esperança... Ou de frustração... Na última sexta-feira (18), durante o segundo dia da Star Wars Celebration, muitas novidades a respeito do terceiro game da melhor franquia de shooter de Star Wars foram confirmadas. Desde o novo trailer até o anúncio da primeira DLC do jogo, diversas notícias surgiram para acabar de vez com muitos boatos. 

Ao mesmo tempo, porém, as respostas apresentadas pela DICE, desenvolvedora do novo SWBF, certamente trouxeram com elas mais dúvidas. Como questiona o administrador da BF BRASIL, Humberto Milanez: a espera chegou ao fim ou apenas continua? Não sabemos o que a Força planeja para nós. As informações que saíram desde sexta-feira fizeram uma legião de fãs ir ao delírio, ao mesmo tempo em que deixaram angustiados outros tantos apaixonados por Battlefront. E na única comunidade brasileira de Star Wars Battlefront, não foi diferente.

A maior polêmica talvez gire em torno da ausência da divulgação do gameplay do jogo desenvolvido pela DICE. O que a Star Wars Celebration reservou sobre o game foi a divulgação do novo trailer e um bate-papo com os desenvolvedores da DICE, aberto ao público.

Humberto Milanez entende a decepção de todo mundo por não terem mostrado como o novo SWBF realmente é in-game. Para ele, a principal preocupação do público é que a DICE não transforme Battlefront em Battlefield, também desenvolvido pela empresa sueca. “Eu como um jogador dos dois primeiros jogos da série Battlefront confesso que gostaria muito de ver alguém jogando para realmente tirar a dúvida se o game realmente vai ser uma continuação da série ou não.”


Por mais que esteja positivo sobre o resultado final do game, o administrador da BF BRASIL demonstrou preocupação com a qualidade apresentada pela DICE no trailer divulgado. Não há como negar o “extremo realismo” de Endor, mas ele não aprovou os personagens, que tiveram animação muito robótica. Mas Rankatoko, como é conhecido nos servidores de BF2 BRASIL, é paciente. “Só mesmo esperar para ver o gameplay e depois o grande lançamento.”

Já o redator da BF BRASIL, Arthur Bianchi, não tem do que reclamar sobre o trailer. Ele destacou a “qualidade das explosões, dos tiros e, principalmente, dos efeitos sonoros. As naves, os uniformes e os veículos também são assustadores. A parte gráfica do jogo parece estar impecável”.

Bianchi, porém, fica com um pé atrás perante tantos detalhes no trailer, que mais parece um filme nas palavras dele. E ele relembra o mesmo fenômeno ocorrido com Aliens: Colonial Marines, lançado em 2013. “Nos gameplays e trailers do jogo, tudo indicava que o novo título da franquia Alien seria o melhor game do ano, no entanto o resultado foi bem diferente... O extremo oposto para ser exato.”

Gabriel Carati, administrador do The Holonet, está otimista com o terceiro game de Star Wars Battlefront. Ele fez questão de ressaltar as novidades que a DICE está desenvolvendo e que fogem um pouco da realidade apresentada na Trilogia Clássica, “como o escudo gungan e a possibilidade de chamar um bombardeio de Y-Wings durante a Batalha de Endor”. 

BATTLEFRONT NÃO TERÁ UMA CAMPANHA TRADICIONAL

O novo Battlefront contará apenas com quatro planetas a princípio: Hoth, Endor, Tatooine e Sullust. Sev, como também é conhecido nas jogatinas, acredita que a quantidade será compensada pela qualidade. “Devemos também levar em conta que o nível de detalhe de cada mapa está bem maior, o que vai oferecer uma imersão e valorização da ambientação do jogo. Realmente nos sentiremos nos filmes.”

Carati acredita que a DICE irá repetir o mesmo esquema adotado no Battlefield 3. “Quando foi lançado contava com apenas um punhado de mapas, e hoje esse número se aproxima de trinta, adicionados ao longo de cinco expansões, ou seja, com certeza novos planetas serão adicionados ao jogo futuramente. Mesmo a DICE com mais de 250 game designers não conseguiria fazer um grande número de planetas com esse nível de detalhe em menos de três anos de produção.”

A referência de Battlefield para projetar como será o novo Battlefront assusta muitos players, como Fernando Baroni, o Aeropickles. Ele, que foi um dos maiores jogadores de SWBF2, está bastante pessimista com o que a DICE irá entregar em novembro. A ausência de bots nos servidores e a impossibilidade de você criar uma sala gratuita para juntar seus amigos são as maiores críticas. “Acompanhei durante anos o Battlefield e vi ser destruído por esta mesma fórmula.”

A onda de pessimismo foi significativa entre os membros da BF BRASIL. Leonardo Bragança, por exemplo, desaprovou a ausência de mapas espaciais, exatamente a principal inovação que Star Wars Battlefront 2 trouxe em 2005. As notícias até agora confirmadas pela DICE não agradaram Gabriel Hoffman. “Quanto mais escuto pior fica.”


Assim como é impossível transformar jedis e siths em amigos, é normal as novidades sobre como está o novo Battlefront dividir opiniões e criar um clima de guerra pior do que o vivido nas Guerras Clônicas. Quanto mais respostas, mais dúvidas. Mais euforia ou então decepção. Até o dia 17 de novembro, muito ainda será falado sobre SWBF – depois do lançamento mais ainda. 

A única certeza em meio a tantos distúrbios na Força é que Star Wars Battlefront 2 seguirá sendo  fiel escudeiro de muitos players, como o Carlos Henrique Souto. “Nunca vou abrir mão do meu Battlefront 2, pois de fato é um jogo completo, além de ter se tornado um clássico hoje em dia.”
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.