MISSÃO CUMPRIDA: PARKOUR TRISTE



Capítulo onze da nossa série. Meu nome é Kriehger e eu vou fornecer orientações para cumprimento da missão terrestre em Mustafar. Na verdade, não. Não vou fornecer as orientações, hahaha. Tá bom, nem sou o Kriehger. Terão que aguentar o Nellynho novamente, hehe.

Chega disso e vamos ao que interessa! Voltando à descrição da fase e seus objetivos: como já apontado, este capítulo se passa numa fábrica em Mustafar, onde um mosquitão da Confederação montou um pequeno exército de droids. Antes que acontecesse muita besteira, as tropas da 501st são chamadas... O resto é violência.

A fábrica é uma fase que se assemelha à Death Star em alguns aspectos: possibilidade de morte por queda em alguns locais (só que aqui você pega fogo, bicho), pontes que se retraem ao ser destruído um painel... Coisas bem interessantes!


Nosso primeiro objetivo: capturar um posto de comando. Não começamos muito bem aqui já que a primeira coisa que podemos ver são nossos colegas bots imperiais paradões na base ou ficando tranquilos ao lado do que parecem ser duas saídas de ventilação da fábrica, que continuamente expelem gases não muito legais. Você pode incentivar esses caras preguiçosos com o botão F4 (follow me); na verdade, isso é altamente recomendado.

Com alguns amiguinhos, vá pela passagem da direita - não dá pra ir pela esquerda, a porta está emperrada! Tive que fazer essa missão mais de uma vez para conseguir terminá-la, e uma coisa que pude perceber é que não vale a pena ficar trocando tiros com os droids e tentando limpar o caminho: o esquema é correr e dar cambalhota. Além de você ficar parecendo um praticante de Le Parkour que não está achando nada para saltar por cima, os robozinhos vão, em sua maioria, simplesmente ignorá-lo e deixá-lo passar. Só atire em alguém se atirarem em você, pois seus disparos parecem ter o poder de “acordar” os droids próximos, deixando-os nervosos e potencialmente reduzindo a sua expectativa de vida.

Corra, dê cambalhotas e, ao chegar em seu destino, se esconda! Fique em um lugar onde consiga capturar o ponto e o mínimo de inimigos te veja. No caso do primeiro posto de comando, esse local parece ser atrás da mesinha que emite a luz da equipe dona do ponto, como mostra a foto. Muitos droids vão estar te vendo, é verdade, no entanto, a maioria passa reto e vai brigar com os bots imperiais (mais incompetentes que os clones... Incrível, hahaha). Se algum ficar enrolando muito para ir embora ou começar a brigar com você, mate-o rapidamente (classes Scout e Engineer são recomendadas). Fique vivo pelo máximo de tempo que conseguir.


Ponto capturado, é dado outro destino para ser tomado dos droids; dessa vez, aquele que é símbolo dessa fase, o posto de comando das pontes sobre a lava. Aqui, sugiro o uso do Scout, pois tendemos a trocar tiros com os inimigos de uma certa distância (além de termos um turretzinho legal). Elimine quem estiver no caminho (só podemos ir pelas pontes, pois mais portas estão emperradas. Vemos, em várias missões, que os droids têm o misterioso dom de emperrá-las). Cuidado com Snipers inimigos: eles estarão do outro lado das pontes e na plataforma à esquerda delas.

Tomamos mais um ponto! Devemos pegar outro, só para não perder o costume. Ainda recomendo o Sniper por causa do longo corredor que leva à base alvo; no entanto, pode ficar difícil sobreviver por tempo suficiente para realizar a captura. De qualquer forma, sugiro que, nessa parte, elimine os inimigos no caminho, pois será difícil esconder-se deles e tomar o posto de comando ao mesmo tempo. Outros pequenos obstáculos que encontramos nessa etapa são Autoturrets, localizados no teto em alguns pontos. Não os subestime (muito): eles podem matar. Destrua-os caso você se encontre numa situação em que esteja muito exposto aos disparos. Ao chegar à base, sugiro que fique próximo do robozinho médico ou do de munição: eles são gente boa e nem todos os inimigos vão querer te matar lá.



É isso aí, mais um ponto! Felizmente, temos um objetivo diferente agora: destruir os rascunhos do droid novo sendo projetado pelo mosquitão. Escolhi (e recomendo) o Engineer para esta etapa por causa dos detpacks e dispensers. Ele é o cara para sair correndo, explodir tudo e ficar vivo. Então, faça isso: corra, exploda tudo e fique vivo (última parte desnecessária: pode morrer sim, só não pode deixar os reforços acabarem). Dê umas cambalhotas também, para ser estiloso. Ignore inimigos.

Ao destruirmos os dois rascunhos, recebemos outra tarefa: levar um objeto (definido como “beacon”, mas me referirei a ele como objeto, pois, assim, temos a impressão de que foi o ET brasileiro Bilu quem nos encarregou disso, dizendo “Bilu quer objeto”) para uma antena, que fica perto da última base que capturamos. Novamente, estilo Parkour sem obstáculo: corra, corra, dê cambalhotas, corra, use a cura do Engineer se precisar (recomendação de classe implícita), corra mais um pouco, tome cuidado com Engineers inimigos (atire neles se já o estiverem fazendo e se estiverem no seu caminho) e faça a entrega. Sugiro que, assim que possível, siga por uma rota que só tenha pontos controlados por sua equipe, pois, assim, a chance de topar com um Magnaguard ou Engineer apelão é menor.

Objeto entregue, Bilu alegre. Digo... Devemos retornar à base e subir a rampa localizada no centro dela (o texto do objetivo da missão diz “Clear the area” ou algo do tipo, mas é mentira, é só subir a rampa mesmo). É isso mesmo, essa parte é só isso, hahaha!

No entanto, assim que chegamos, surge um monte de droids e Geonosians em todo lugar, além de nosso amigo mosquitão Gizor Delso. Agora, devemos matá-lo. Ele tem bastante vida e parece usar a arma dos Magnaguards (em outras palavras, é forte); porém, quando me aproximei, tive a impressão de que ele não conseguia me acertar (muito). Então, tentei ficar colado nele, acertando a cabeça do insetão com a shotgun até fazê-lo ver o pão do céu. Ah, uma dica para quem joga com fogo amigo ativado: não tente acertar o mosquitão com o morteiro do Imperial Officer caso ele esteja no meio do bolo de droids e imperiais, pois você vai matar muito amigo e os seus reforços vão evaporar. É possível que o foguete do Shock Trooper tenha o mesmo efeito, mas um pouco menor. Você pode tentar atrair o Gizor para uma área mais vazia para usar explosivos, caso essa seja sua preferência; lembre-se, no entanto, que ele parece sempre ser escoltado por outros Geonosians, o que pode dificultar um pouco as coisas.

E assim termina nossa missão! Infelizmente, é o fim da linha para os nossos amigos droids.


O próximo capítulo é por conta do Rankatoko. Ele vai dar altos tiros na cara dos clones em uma das missões mais legais da campanha. Até lá!
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.