MISSÃO CUMPRIDA: REBELIÃO DOS SEPARATISTAS?!

No décimo capítulo da série Missão Cumprida, levarei o exército imperial para a órbita de Mustafar, um planeta icônico para a o universo de Star Wars, sobretudo para o Episódio III - A Vingança dos Sith. Essa missão é realmente muito rápida de ser concluída, porém apresenta uma dificuldade considerável, porém pode ser muito divertida.

As primeiras fases da campanha imperial são muitopeculiares, pois você não luta contra a facção rebelde, mas contra guardas do templo jedi, da cidade de Theed, a Confederação etc...  E com esse mapa da campanha não será diferente. Esta fase é a primeira dessa parte a se passar no espaço, e é realmente bem peculiar. Eu simplesmente adoro essa missão, pelo  fato de se tratar de uma batalha entre a Confederação e o Império. Qualquer um que já jogou Star Wars Battlefront 2 sabe que o jogo não nos da a opção de conflitos entre eras diferentes, e esse "recomeço" da campanha mostra como que isso pode ser divertido.

Desta vez, o batalhão 501 é mandado para destruir um exército separatista reativado por Gizor Delso, um dos líderes geonosianos da Confederação, no sistema Mustafar, porém acaba encontrando uma recepção em sua órbita. A missão começa com uma invasão de droids em seu Star Destroyer, e o objetivo será contê-la destruindo todos eles junto com a nave que utilizam para desembarque. Você pode estar pensando "ah, mas isso nem é difícil", mas nesse caso será. Os droids estarão em maior número e irão  defender seu transporte sem dó nem piedade. Além disso , os outros soldados imperiais resolveram que não irão mover um dedo para te ajudar a destruir a nave separatista, o que não facilita nem um pouco. Eu acabei num dilema, se eu pegasse o Imperial Pilot, eu conseguia danificar o transporte deles, mas logo morria para os inimigos. Se pegasse o Imperial Marine, os droids não eram um problema, mas acabava não causava danos reais a nave. No fim optei pela técnica milenar que já apresentei na missão cinco dessa série: ataque Kamikaze. Pois é, achei mais fácil ir com o Imperial Pilot e ir plantando bombas até a morte, foi meio frustrante, mas no fim deu certo.




Em seguida, as ordens são para destruir oito naves inimigas, seria simples, se não houvesse uma tonelada de complicações. A primeira delas é o campo de asteroides em que a batalha acontece, pois qualquer descuido e você vai acabar batendo e um deles, e vai explodir s2. Outro problema é a quantidade esmagadora de rivais em relação às tropas aliadas, isso pode apresentar uma dificuldade para alguns, principalmente quando tem três droids enfurecidos querendo te matar, ao mesmo tempo. E a maior dificuldade: o cruzador adversário. Ao contrario das Instant Action, o Confederacy Cruiser do inimigo estará armado até os dentes, e chegar perto dele significa uma morte bem rápida. Mas, como seu Destroyer está quase grudado na nave inimiga, é impossível não passar muito perto dela. Por essas razoes, achei que a TIE Bomber é a melhor opção, por ser a mais resistente e possuir um poder de fogo considerável, além de ser minha TIE favorita e o recalque dos droids bate no brilho da lataria dela e volta.

Após destruir oito caças, será dado seu último objetivo: roubar um bombardeiro do oponente. Seria algo simples, mas como já disse, a nave inimiga ta toda trabalhada em morte e em Auto-turrets. Eu não sei o que é pior: entrar no hangar inimigo com uma TIE qualquer, ou sair de lá com o CIS Bomber. Eu testei e, de novo, achei a TIE  Bomber melhor para o percurso, por ser resistente. Você pode tentar usar a TIE Interceptor, por ser extremamente veloz, mas ela é também a mais frágil, e isso não ajuda em nada.

Assim chegamos ao fim de mais um capítulo da série Missão Cumprida. Espero que gostem de jogar essa fase o tanto quanto eu gostei, ela é muito divertida. No próximo episódio, que será realizado pelo Bonham Kriehger, o exército imperial irá desembarcar em Mustafar e terminar de levar os últimos droids para o ferro velho, não percam!


Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.