MISSÃO CUMPRIDA: CHAME O RABECÃO


Sétimo capítulo! Um episódio que pode ser um pouco complicado, mas, com certeza, rápido. Utapau, o mapa dessa etapa, é... urbano? Vias que se assemelham a ruas e praças fazem oportunidades para snipers choverem; por isso, caso você não seja um, evite andar por aí em locais muito abertos (não siga meu exemplo).


Primeiro objetivo: capturar um posto de comando. Tranquilo, né? O único problema é que começamos com apenas 15 unidades de reforços. Não dá pra brincar aqui. O esquema é, portanto, fazer a missão. Parece óbvio, mas a primeira coisa que pensei em fazer ao ver tantos droids ao redor do ponto foi tentar limpar a área. Não pense assim: corra para o posto, que fica num local mais alto do que os arredores, o que oferece mais proteção contra snipers. Fique vivo até capturar o ponto.

Completamos a primeira etapa! Ganhamos mais reforços, né? Mais ou menos... depois de receber o incremento às reservas, acumulei incríveis 17 unidades para a segunda parte, que, novamente, envolve captura de um Command Post. O mesmo procedimento pode ser tomado aqui, mas com mais cautela ainda, pois agora há tanques e, como se já não fosse suficiente, snipers. Vá direto ao ponto (literalmente), mas procure ficar escondido na medida do possível. Outra coisa: evite andar sozinho na rua. Chame amigos com o botão F4 para aumentar suas chances de sobreviver.

Passamos do maior aperto da fase em relação a reforços; além disso, Obi-Wan chega após a segunda parte para ajudar a (adivinhe) pegar outro ponto. Por medo de ser derrotado e para completar essa etapa mais rapidamente, resolvi usá-lo. Ajudou muito.


Capturado o posto do hangar, chega o Grievous, nervosão. Agora, devemos derrotá-lo. Aqui, a primeira pessoa do plural tomou conta, pois minha participação foi morrer para snipers e Magnaguards. Quando finalmente cheguei perto do Grivão, ele já estava quase morto. Não mais do que eu, no entanto. O golpe final foi de um outro clone. Assim, a dica é: não preste muita atenção no Grievous, pois quem mata mesmo são os droidzinhos estilosos.

O próximo objetivo é destruir dois canhões antiaéreos do hangar para permitir que mais reforços cheguem. A primeira coisa em que pensei foi trocar para Heavy Trooper, e assim agi: foram necessários dois foguetes para cada uma das torres. Bem rápido, e, ao completar essa parte, realizei aquilo em que tenho proficiência: morrer para snipers.

Etapa final: destruir uma torre que fica próxima ao posto de comando em que começamos a fase. Sugiro que, se possível, ataque a estrutura partindo de lá, pois você vai encontrar menos droids pelo caminho. Dá para atingi-la de qualquer outro lugar com o “fogueteiro”, no entanto: é apenas opção minha. Na foto abaixo, contrariando a mim mesmo, ataquei partindo do hangar. E morri, claro.


E acabou! Foi bem rápido, mas interessante. E fatal.


No próximo capítulo, Kriehger cuidará de uma das missões mais legais da campanha do Battlefront. Uma das meio complicadas, também. Até lá!
Compartilhar no Google Plus

3 comentários:

  1. Essa é uma das missões mais fodásticas da Campanha! Realmente, em Utapau é preciso estar atento aos tiros miseráveis dos snipers fdps. Nossa, que raiva deles! E triste ver que Grievous nem causa tanto estrago como ele está acostumado a fazer no universo de Star Wars. Poderiam ter dado um destaque maior nele nessa hora que ele aparece. Bela missão, Luquinhas!

    ResponderExcluir
  2. aaa o grivao luta igual qualquer outro bot jedi, entao da pra prever o q ele vai fazer as vezes e tals... mesmo assim n da pra brincar perto dele nao haahahaha. por outro lado, n da pra brincar perto de nenhum dos droids hahahahah

    ResponderExcluir
  3. Bela missão, Lucas, eu lembro que há poucos dias atrás joguei esta missão e morri demais nela tentando tomar primeiro ponto. :P Se eu fosse um dróid falaria que estou com as juntas enferrujadas. Mas nesta missão os bots lutam como qualquer jogador deve fazer: jogar em equipe e parar de se preocupar de quem vai pontuar mais ou morrer menos.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.